Páginas

sábado, 15 de fevereiro de 2014

Prestes a dar à luz, Ana Hickmann fala sobre as mudanças do seu corpo: "Nunca me senti tão linda"

A apresentadora revelou à CONTIGO! que aumentou três números do manequim com a gestação, mas que jamais tinha se sentido tão bonita !

É um doce drama: Ana Hickmann, 32 anos, 35 semanas de gestação, tem passado por dificuldade na hora de comprar roupa. "Traje de grávida é uma catástrofe! O quadril alarga, o peito aumenta, vira uma coisa meio desproporcional. E, no meu caso, com meu 1,86 metro de altura, fica mais complicado ainda!", ela diz, rindo, à espera de Alexandre, filho de seu casamento com o empresário Alexandre Corrêa, 45. A apresentadora conta que, nos últimos meses, seu sutiã pulou do número 44 para o 50, a cintura superou 1 metro e a silhueta ganhou mais 24 quilos – com expectativa de aumentar mais 2 até o fim de fevereiro. Ela tem reformado até as lingeries. "Calça, então, nem se fala! Parei de usá-las. Virei adepta do vestido. Achei mais prático."

Para muitas mulheres, essa transformação soaria trágica, principalmente ao lembrar que Ana sempre se manteve como referência de boa forma feminina e, em 2002, pisou nas passarelas como uma Angel da grife Victoria’s Secret. "Sou casada há 15 anos, esperei quase duas décadas para engravidar, fiz tratamento para isso. Agora que consegui gerar meu filho, acha que vou me preocupar com peso? Eu não! Vou é curtir! Depois, corro atrás e, no Carnaval de 2015, recupero minha barriga tanquinho", disse com uma gargalhada de quem vive um momento especial de sua vida. Nele, Ana tem se permitido ceder às tentações. "Cuido da alimentação, especialmente para não aumentar a pressão e prejudicar a saúde do meu bebê. Mas meu paladar mudou e eu, que nunca liguei para doces, agora não posso ter chocolate na despensa, senão devoro tudo. Graças a Deus, o desejo por pipoca do início da gestação acabou!", diz a apresentadora, que se define como uma grávida tranquila. "Deixei para finalizar o quarto do bebê, inclusive o berço, até a última sexta-feira (7). O closet foi o primeiro a ficar completo. Alexandre ganhou tanta roupa de recém-nascido que mesmo que ele troque de roupa cinco vezes por dia não conseguirá usar todas."

O fim da gravidez está previsto entre 15 de fevereiro e 15 de março. Na penúltima semana de janeiro, Alexandre já era um bebezão de 42 centímetros, mas Ana vai esperar o parto normal. "Ele decidirá quando quiser chegar. Alexandre e eu batalhamos muito na vida para ter um filho. Agora, queremos aproveitar cada segundo." A seguir, Ana Hickmann em sua última entrevista antes do nascimento de seu maior sonho.

O verão de 2014 está batendo recordes no Brasil e você está na reta final da gravidez. Como lida com tanto calor? 
Nessa reta final, fiquei um pouco ruim, bateu um cansaço, nada grave, coisas da correria do dia a dia, não por causa do calor. Mesmo porque, atualmente há ar condicionado em todos os lados (risos). Sou gaúcha, mas deveria ter nascido no Nordeste, porque amo temperaturas altas (risos). Só fica um pouco mais difícil na hora de dormir, mas nada de insônia. Tudo bem que, na gravidez, a temperatura corporal da mulher sobe para uns 38,5 graus, tive de cortar o sal para não aumentar a pressão e para diminuir o inchaço. Nos últimos dois meses, eu chego mais cedo em casa, deito no sofá ou na cama e coloco as pernas para cima. Pelo menos uma vez por semana, faço uma sessão de drenagem linfática. No mais, não sofri com a gravidez: não enjoei muito, não fiquei mal. A única coisa, se dá para dizer que é ruim, foi o aumento de peso. Mas tudo tranquilo. Por causa do tratamento hormonal, engordei 12 quilos. Depois da gravidez, ganhei mais 12. Até o parto, devo acrescentar mais 2, no total, serão uns 26 quilos a mais.

Você foi top model, sempre se manteve magra como uma referência de corpo ideal. Como é agora se ver maior no espelho? 
Uma das fases da minha vida em que me olho com mais gosto e alegria no espelho é agora. Digo isso do fundo do coração. Muitas mulheres podem não acreditar nisso, mas é verdade. Eu queria tanto que este momento chegasse, desejava tanto engravidar, que acho que nunca na vida tive uma cintura tão linda! Meço todas as semanas e faz um tempo que ela superou 1 metro! Comemorei (risos)!

Não está se preocupando nem um pouco com o corpo?
Não vou ser hipócrita a ponto de dizer isso. Só acho que tudo isso que aumentou agora eu sei que posso recuperar depois. Por isso, não fico desesperada. Estou curtindo cada ondulação nova que surge no meu corpo. É a primeira vez na minha vida que, ao andar, sinto minhas coxas grudadas (risos)! Tudo aumentou: o meu braço, por exemplo, está (risos)... Muitas mulheres ficariam desesperadas. Eu não. Não tive vergonha de mudar meu corpo pelo meu filho. Tenho muito orgulho! Lógico que depois vou correr atrás.

Há mulheres que ficam focadas em recuperar a barriga tanquinho três meses após o parto. E você? Como se imagina? 
Eu não (risos)! Decidi esperar esse tempo todo para ser mãe. Agora, quero mesmo é aproveitar (risos)! Desejo viver cada minuto da minha gestação e, quando Alexandre nascer, quero poder ser mãe, fazer tudo o que minha mãe fez por mim, amamentar, dar banho, ninar, educar... Mesmo com a vida agitada que a gente tem hoje.

Como você planeja sua volta ao trabalho? 
Minha licença-maternidade será curtinha. Devo ficar no máximo três meses fora do ar. Mas aí vou preparar meu camarim e toda a infraestrutura para levar meu filho comigo. É lógico que devo voltar ao ar ainda meio rechonchuda. Certamente perderei peso, mas não todo. Emagrecer não é apenas uma questão estética, mas de saúde. Agora que estou maior, tenho sentido como o joelho sofre pra caramba com o excesso de peso. Mas tenho uma vida saudável: adoro ir à academia, cuido da minha alimentação. É claro que não poderei voltar a tomar os suplementos alimentares logo, porque o foco é a amamentação. Mas acredito que no Carnaval de 2015 já estarei com minha barriga tanquinho de volta.

E seu marido? Como lida com suas transformações nesta fase? 
Achei que Alexandre não fosse gostar nem um pouco. Ele sempre me observava e falava: "Olhe a celulite, olhe a gordura, tem certeza de que vai comer isso". Agora, Alê é outra pessoa. Todos os dias de manhã, o primeiro gesto dele é passar a mão na minha barriga e beijá-la. Certos dias, olho no espelho e fico insegura. Falo: "Meu Deus, estou enorme, onde vou parar?" Mas ele responde: "Pare com isso! Você está linda!"

Dizem que os hormônios aumentam a libido na gestação. Como foi com você?
Tem dias que sim, dá uma vontade enorme. Mas nesta fase finalzinha, fico numa preguiça danada. Tudo o que eu quero é colo e carinho o tempo todo. Nunca fui assim. Sempre falava para ele cuidar das coisas dele, ficar tranquilo. Mas, desde o início da gestação, quero meu marido perto de mim. O simples fato de eu tomar banho e saber que ele está por ali me conforta.

Você conquistou um casamento de 16 anos, uma carreira sólida, o corpo ideal, uma mansão... A impressão é que o filho era o único elemento que lhe faltava... Com certeza! O bebê é o que faltava para eu me sentir completa e 100% realizada. Estou plena. Para mim, família sempre veio em primeiro lugar. Desde a adolescência, sempre trabalhei, batalhei bastante para construir um lar para criar um filho de uma forma segura e tranquila. Está valendo a pena! Demorou, mas Alexandre vem no momento ideal. Falo para todas as mulheres que planejam ter filhos: construa tudo o que você sonha para que, quando este momento chegar, possa vivê-lo de uma forma segura e tranquila. Porque a gente realmente passa por uma transformação de corpo, de cabeça no dia a dia... É preciso ter certeza de que está em um ambiente sólido para curtir todas essas mudanças. No meu caso, estou na melhor fase da vida. Só vai superar quando Alexandre chegar.

ESTA MATÉRIA FAZ PARTE DA EDIÇÃO 2004 DA CONTIGO!, NAS BANCAS EM 12/02/2014.