Páginas

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Ana Hickmann agradece carinho dos angolanos “aqui o carinho é muito forte”

O melhor da moda angolana esta de volta, mais um ano que Angola vai mostrar ao mundo o seu talento que que cada dia vem engrandecer. A organização do evento “ Angola Fashion Week”, realizou nesta terça-feira (22), no hotel HCTA, uma conferencia de imprensa para apresentar a imprensa a convidada especial Ana Hickmann, que ira apresentar e desfilar, que para este ano tem como tema Palanca Negra Gigante, um dos maiores símbolos da fauna do nosso pais.

Mais um ano que Angola ira mostrar ao mundo todo o grande talento e imenso que floresce a cada dia. Com nova inspiração, criatividade, glamour, charme e muita beleza o maior evento de moda junta diversos amantes e apreciadores de moda, nesta quinta-feira( 23 á 25) de junho no Centro Cultural Paz Flor para mais um Angola Fashion Week que tem como tema Palanca Negra Gigante.

O evento conta novamente como a presença dos melhores e consagrados estilistas e modelos nacionais e internacionais como as modelos angolanas Sharam Diniz, Maria Borges e Demora Montenegro de Portugal, e estilistas Fiu Negro, Alex Kangala, Soraya da Piedade e Tom Ford by Ducarmo. E para se juntar ao consagrados terá a presença da ilustra apresentadora e modelo Ana Hickmann vindo do Brasil.


Sem esconder a grande emoção e felicidade que recebeu dos angolanos, Ana Hickamann, diz estar muito feliz por participar no evento e por estar em Angola pela primeira vez, embora já terem surgido oportunidades para estar.

“Estou muito feliz por participar deste evento, é a primeira vez que estou me luanda-Angola estou muito contente, faz muito tempo que quis vir mas nunca deu certo, as oportunidades sempre apareceram isso de destino é graça a rede record a emissora onde comecei a trabalhar na televisão e levei a moda na televisão, vim participar neste evento Angola Fashion Week e estou entediada, já sabia da dimensão do evento do tamanho, fui buscar saber mais da moda angolana, mais chegando aqui pode perceber ainda mais, por isso fiz questão de vir do brasil para ca e já vou levando material daqui para mostrar no brasil assim como temos o Angola Fashion Week que um dia começou numa sementinha hoje faz parte do calendário internacional da moda”, disse apresentadora do Hoje em Dia.

Acrescentou ainda em um elogio para estilista Fiu Negro, por ter um talento maravilhoso e

 “Angola Fashion Week agora é uma marca muito importante com um potencial maravilhoso e estou encantada, surpresa com que estou vendo dos estilistas principalmente daquela que vou desfilar para encerrar a semana de moda o Fiu Negro é lindo, Maria Ângela tem um talento maravilhoso. 

Fiquei surpresa também com o numero de desfiles em poucos dias, acho que são trinta e sete, ate acho que são mais desfiles que São Paulo Fashion Week, o numero é muito alto e espero que próximo ano tenha mais porque tem potencial para isso, muito talento, enfim estou muito feliz estar juntos de vocês e vou agradecer duas coisas primeiro pelo carinho de todos os angolanos comigo em todos esses anos que sente nas redes socias pessoalmente todas as minhas viagens que fiz não tinha pessoa que não parava e falava comigo sempre muito carinhoso. 

Desde o momento que embarquei ate aqui sentada com vocês esse carinho é muito forte, gostoso e vou levar para casa comigo, para poder contar de boca cheia que realmente esse pais tem muito haver com a minha cara e com o Brasil e acho que os dois países combinam muito bem e agente tem que ligar mais esses laços, obrigada Rede Record por me trazer para participar no Angola Fashion Week”, acrescentou a modelo brasileira.


Fonte : AngoRussia

domingo, 19 de junho de 2016

Ana Hickmann causa furor em feira de lingerie.

Ana Hickmann distribuiu beleza e carisma ao marcar presença no Salão Moda Brasil, em São Paulo, durante a tarde deste domingo (19).

A apresentadora, que é embaixadora da Recco Lingerie, esteve no evento representando a marca e arrasou diante dos fotógrafos.

Sempre elegante, Ana posou com seu sorrisão à mostra e encantou quem estava na feira.





Fonte : Caras/Ofuxico

quarta-feira, 8 de junho de 2016

Ana Hickmann retoma agenda e participa de evento em SP

Apresentadora participou de lançamento de sua coleção, em parceria com a Rommanel

Algumas semanas depois de sofrer um atentado, durante uma viagem para Belo Horizonte, Ana Hickmann voltou a marcar presença em eventos. Nesta terça-feira (7), a apresentadora mostrou toda a sua simpatia e estilo, ao marcar presença no coquetel de lançamento de sua própria coleção, em parceria com a Rommanel, que aconteceu em São Paulo.

Com poses pra lá de caprichadas, a loira apareceu em vários tipos de fotos, sempre com um largo sorriso no rosto, antes de circular pelo local onde aconteceu a badalação e, claro, conversar com seus ilustres convidados, apresentando os vários produtos de sua linha, Challenger, que, inclusive, possuem significados que trazem equilíbrio, foco e força para os desafios da mulher urbana.

Além disso, Ana fez questão de tirar fotos com vários dos fãs que se aglomeraram, na região central da capital paulista, só para vê-la, deixando claro que, apesar do pesares, está se recuperando bem de tudo o que viveu, há alguns dias.






Texto Fonte : Ofuxico 
 Fotos : Pure People, Caras

quinta-feira, 2 de junho de 2016

Ana Hickmann, em família, pronta para recomeço

Após atentado de fã que quase lhe custou a vida, estrela volta à TV: ‘Não vou mudar a rotina’

Nove dias após sofrer uma tentativa de assassinato por um rapaz que se dizia seu fã, Ana Hickmann (35) busca forças na família para voltar à rotina de trabalho e superar o susto que quase lhe tirou a vida. “Tive certeza absoluta que iria morrer. Ele olhou nos meus olhos, não piscava, e disse com muita segurança que me mataria, que dali eu não sairia, que chegara o meu dia”, conta a apresentadora do Hoje em Dia, da Rede Record, sobre o atentado que sofrera de Rodrigo Augusto de Pádua (30), em Belo Horizonte, onde estava — com o casal de cunhados Gustavo Corrêa (39) e Giovana Oliveira (39); ele, seu sócio, ela, sua assessora de imprensa —, de passagem para lançamento de sua grife de roupas. O rapaz, que, armado, invadiu o quarto onde Ana se preparava para o evento, após fazer dois disparos que feriram gravemente Giovana, foi rendido por Gustavo e acabou morto com dois tiros. “Hoje, já consigo contar a história sem chorar. Ele mirou para a minha cabeça e apertou o gatilho. Parece roteiro de um filme de terror. Jamais pensei que isso um dia pudesse acontecer na vida real”, completa Ana, cercada pelo carinho do marido, o empresário Alexandre Corrêa (44), e do filho, Alexandre Jr. (2), em seu apartamento na capital paulista, estrategicamente localizado no mesmo bairro de sua emissora. Um dia antes de voltar ao ar no matinal diário e à toda sua agenda profissional — “Não vou deixar de fazer nada”, faz questão de reforçar — a estrela recebeu CARAS com exclusividade. Serena e segura, ela é firme ao dizer que não mudará sua atitude nas redes sociais nem seu contato com os fãs e faz questão de se declarar eternamente grata ao cabeleireiro Julio Figueiredo (37): “Ele foi fundamental para que tudo terminasse bem. Correu com Giovana baleada para o hospital e se colocou a disposição da polícia após ter presenciado as agressões, além de ter gravado o áudio que virou prova no processo.”

Como foram os últimos dias?
Cheguei em casa sábado de madrugada. Domingo foi um dia muito difícil. Principalmente pela aflição por notícias da saúde da Giovana, que passou por duas cirurgias muito delicadas. Minhas irmãs vieram para a minha casa e ficamos todos juntos, tentando buscar forças um no outro. Depois da transferência da Giovana para São Paulo, na quarta-feira, e de toda a repercussão do caso na imprensa, decidi que não queria mais acompanhar a história pela mídia. Com meu marido e meu filho fui para a minha casa no interior, em Itu, a 75 km de São Paulo. Me fez bem rever as minhas coisas, as pessoas que amo, meus cachorros. É impossível não pensar que eu poderia não estar mais ali. O sábado, quando fez uma semana, foi muito difícil. Perto da hora do ocorrido, lembrei, me emocionei, chorei.

Está tendo alguma ajuda profissional?
Sim! Nunca fiz terapia, mas pedi ajuda a um psicólogo amigo. Não só para mim, mas para toda a família. Está sendo difícil para todos nós. Ele diz que é para eu falar a respeito, por para fora, chorar se tiver vontade... Até essa sensação de medo passar. É uma mistura de insegurança, com alegria de estar viva e felicidade de ter a família junto a mim. O barulho da porta batendo, por exemplo, ainda me assusta bastante.

Chegou a tomar algum medicamento?
Durante três dias tive de tomar remédio para dormir. Quando deito a cabeça no travesseiro é quando as lembranças voltam. Mas, por enquanto, nada de antidepressivos. Às 6 da manhã quando meu filho chama ‘Mamãe’, me dá coragem de levantar, começar o dia e tocar a vida. Nesse momento, tenho a certeza que não quero ficar na cama. Meu melhor remédio está sendo oração e a família. Voltar ao trabalho vai ser muito bom para mim.

Mudou a sua relação do Deus?
Sempre fui de rezar bastante e acredito muito em Deus. Mas nunca agradeci tanto por estar aqui, bem, inteira e, apesar de tudo o que aconteceu, sem nenhum arranhão. Papai do Céu me deu a chance de voltar para casa, ver o meu filho e o meu marido, sentir o cheiro deles. Já posso dizer que Ele gosta muito de mim e me deu provas que acreditar Nele e pedir sua força e proteção faz toda a diferença. Quando tudo passou e a poeira baixou, tive certeza de que tenho uma missão a cumprir por aqui. Tenho muita coisa boa ainda para fazer nessa vida.

Depois de uma semana em casa com a família, amanhã você volta ao trabalho. Já se sente preparada para retomar a rotina e, novamente, estar em exposição? 
Depois de cinco dias protegida dentro de casa, me questionei se estava preparada para sair à rua e encontrar gente. E fiz isso. Em Itu, fui pessoalmente comprar algumas coisas. Assim que desci do carro, os primeiros minutos foram difíceis... Comecei a transpirar e fiquei com a boca seca. Mas foi só a primeira pessoa se aproximar com uma palavra de carinho que tudo passou. Se antes se aproximavam pedindo para fazer uma selfie, essa semana, o que mais escutei foi: ‘Posso te dar um abraço?’ Aprendi o que significa na prática a palavra solidariedade. Solidariedade de atenção, de dar força, de pedir para eu voltar logo. Agora, quando choro não é de tristeza, mas sim de alegria e conforto. E isso me deu força para querer voltar logo ao trabalho. Eu não quero parar com a minha agenda, nem com a minha vida.

Pretende mudar sua relação com as redes sociais?
Não! Sempre interagi nas redes sociais como algo positivo e vai continuar sendo assim. Por ali, as pessoas sempre foram muito presentes e carinhosas comigo. Meu trabalho sempre foi movido a esse relacionamento, dentro e fora da TV. E quando não é pela internet, é no corpo a corpo, na rua. Eu não vou evitar as pessoas. Nunca fiz isso e não vai ser agora. Além dos eventos profissionais, vou continuar indo ao supermercado e ao Ceagesp comprar minhas plantas, por exemplo. Quero voltar à minha vida normal, voltar a ser a Ana que sempre fui.

Como está a Giovana?
Ainda não há previsão de alta e estamos sonhando com o dia que ela voltará para casa. Emocionalmente, parece bem. Talvez a melhor de todos nós. Sempre foi muito centrada e está sendo muito forte. Fisicamente, foi quem ficou com a maior conta. Uma bala atravessou o braço e, a outra, entrou pelo abdome, perfurou órgãos vitais, entre eles o intestino, e ainda está alojada no fêmur. Hoje, já sabemos que não há mais risco de vida nem haverá sequelas. Ela ficou bastante machucada, mas vou fazer de tudo para que essas marcas não fiquem no seu corpo.
 
Planos para o futuro?
Essa é uma página que nunca vai sair da minha história, mas não quero ficar marcada por isso. Eu tive uma segunda chance e quero que esse drama fique pequeno diante de tantas coisas boas que vou realizar daqui para frente. Quero ver meu moleque crescer, minha família aumentar e meu marido feliz.




Fonte : Caras

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Ana Hickmann S/A: um sucesso construído a dois

O trágico episódio do ataque que sofreu de um fã é um ponto fora da curva na vida e carreira da apresentadora da Record - que, com a ajuda do maridão, planeja e controla com extremo calculismo cada novo lance de seu lucrativo império

Há vinte anos, a então adolescente Ana Hickmann deixou a pequena Santa Cruz do Sul, no centro do Rio Grande do Sul, para acompanhar algumas amigas em um teste para a carreira de modelo em São Paulo. Embora nenhuma das aspirantes tenha sido aprovada, a acompanhante arrasou: aquela loira esguia, com 1,85 metro de altura e penetrantes olhos azuis, encantou de imediato os olheiros da agência que promovia o concurso. Começava aí uma carreira que só cresceu desde então - "acima e avante", aliás, bem poderia ser um slogan para a trajetória de Ana Hickmann.

Um segundo lance da juventude teve importância decisiva para a ascensão de Ana. Pouco depois de se mudar para São Paulo, a modelo "ficou" com um rapaz mais velho em uma balada. Ela tinha 17 anos. Alexandre Correa, natural de Sorocaba, interior de São Paulo, contabilizava treze a mais - já chegara aos 30. Tão logo os dois começaram a namorar, uma contingência da carreira dela os levou a acelerar dramaticamente a profundidade de seu relacionamento. Ana recebeu uma proposta de trabalho no exterior, mas o fato de ser menor de idade complicava as coisas. O nó foi desatado graças ao romance com o príncipe trintão: em um lance pragmático, que permitiu a Ana se emancipar e garantir o trabalho no exterior, os dois resolveram se casar. Correa encerrou sua vida de modelo e, a partir daquele momento, virou não só maridão e protetor de Ana, mas também seu empresário. A união do útil ao agradável acabaria cimentando uma relação de durabilidade notável para os padrões das celebridades.

Para se entender a total dimensão do sucesso de Ana Hickmann, pois, é preciso ter claro que tudo que envolve sua vida e seus passos profissionais é fruto dessa entidade dupla. A modelo e apresentadora entra com a imagem, o carisma, a inteligência e certo tino para captar o gosto feminino para roupas, acessórios e afins que estampam seu nome. Ele é o cão-de-guarda que zela pela imagem dela e se revela duríssimo ao brigar por seus interesses comerciais e seus cachês na TV. "Eles trabalham como camelos. São muito batalhadores e cumprem uma carga horária absurda, de umas 15 horas por dia", diz Marcelo Nogueira, profissional que cuida do licenciamento dos produtos Ana Hickmann há treze anos e se tornou amigo do casal.

A aposta no licenciamento de produtos, aliás, é um exemplo emblemático das ambições da dupla. Ana e o sócio-marido entraram nessa seara em 2002, quando ela já era uma modelo internacional consagrada, que tinha em seu portfólio a atuação como uma das celebradas "angels" (ou anjos) das campanhas publicitárias da Victoria's Secret, a marca de americana de lingeries de fama mundial. Àquela altura, entretanto, Ana ainda não era uma personalidade televisiva. Só dois anos depois, em 2004, ela seria contratada pela Record, a princípio para participar do programa de variedades Tudo a Ver. Ana se consagraria na emissora algum tempo adiante, ao se tornar a presença mais cintilante entre os apresentadores da revista matinal Hoje em Dia, que passaria a incomodar a Globo no Ibope durante as manhãs do meio da semana daí para a frente (após passagens por um programa dominical e uma atração exibida nas tardes da semana, Ana voltou em 2015 ao Hoje em Dia). A carreira na TV revelou-se não apenas um acerto em si, mas uma forma espertíssima de potencializar seus negócios pessoais.

Como artista da Record, Ana embolsa um salário de cerca de 300 mil reais mensais (o valor pode subir bastante, porém, graças à participação em merchandising). Mas seu império de licenciamento é uma potência à parte. A marca AH licencia de óculos escuros (seu carro-chefe) a batons, num total de 3 mil produtos. Graças às vendas de produtos com sua marca no Brasil e em quarenta países, da Europa ao Oriente Médio, catorze empresas alcançam um faturamento global declarado de mais de 400 milhões de reais anuais - dos quais se estimam que por volta de 10 milhões tenham pingado em 2015 na conta do casal. Como se vê, não há tempo de crise nos negócios de Ana Hickmann.

Daí vem um bom exemplo de como Ana usa a interação de seus negócios dentro e fora da TV como motor de lucros. As roupas, bijuterias, óculos e outros itens com que aparece no ar são sempre de suas marcas. E a Record - ao que consta, sem exigir contrapartidas - permite que se informe isso nos créditos do programa. Ou seja: ela dispõe de um amplo espaço para ser sua própria garota-propaganda. "É a credibilidade que vende. Ana faz questão de usar seus produtos, para atestar que são bons. Tem celebridades que fazem seus licenciamentos e não utilizam seus produtos - como vão querer que alguém os compre?", diz Marcelo Nogueira. Faz sentido.

No nicho da moda, em particular, a apresentadora chega a dispensar a terceirização: uma das suas ocupações atuais é comandar um núcleo de estilistas que faz criações com sua assinatura. No sábado do trágico episódio em Belo Horizonte, ela tinha ido à cidade para divulgar justamente sua nova linha de moda. A nova fronteira que ela e o marido querem explorar, para unir todas as pontas de seus negócios, é a franquia de lojas dos produtos Ana Hickmann.

Nas conversas com executivos da TV e do mercado de licenciamento, Ana e Alexandre costumam ser descritos como aplicados, esforçados, calculistas - e, sobretudo, estrategistas ambiciosos. "Eles formam uma organização muito bem estruturada. São o casal 20 perfeito", diz o publicitário Sérgio Amado. Na escala das estrelas mais cobiçadas pelos anunciantes, Hickmann construiu uma imagem invejável: com sua estampa classuda e traquejo adquirido em programas populares, consegue atingir pessoas de todas as classes sociais. "Ela é alta, linda, loira, charmosa e inteligente. Como não poderia vender bem? Além disso, tem um bom coach, que é o marido, um cara que joga duro e zela pela imagem dela", diz Amado. O zelo inclui, por exemplo, cuidados para evitar a superexposição - o excesso de campanhas, afinal, mina a imagem qualquer celebridade.

O cálculo envolvido na carreira de Ana passa, ainda, pelo manejo de outro expediente: o uso da vida pessoal como trunfo para embalar a imagem de sucesso e carisma. A própria ideia do casal formado por uma linda e jovem modelo e um tigrão mais maduro, de cabelos grisalhos, funciona como poderoso indutor de desejos aspiracionais em certa parcela do público feminino. Só em 2013, após treze anos de passos determinados e sem perda de foco no rumo da consolidação desse império, o casal finalmente achou que era hora de produzir aquele que Ana chama de "cerejinha de bolo" no processo de lapidação da imagem de mulher completa e feliz: seu primeiro filho. Batizado com o mesmo nome do pai - além do "Alê", agora ela tem um "Alezinho" em sua vida -, o rebento completou 2 anos em março passado. Seu nascimento foi transformado numa atração à parte: do enxoval à primeira entrevista da mamãe, cada passo foi acompanhado em detalhes pela audiência.

Da mesma forma, Ana e Correa atiçaram o imaginário dos fãs ao escancarar as portas de seu "filhotão" - a mansão de 2 mil metros quadrados de área, construída num condomínio na cidade paulista de Itu ao custo de 9 milhões de reais, no qual a família passa os finais de semana e recebe a parentada e os amigos (durante os dias de semana, eles moram num amplo apartamento na Zona Oeste paulistana, não muito distante dos estúdios da Record). Ana abriu as portas de seu castelo branco de vidro e concreto como cenário de um reality show de modelos exibido pela emissora nas tardes de domingo. Ela e o marido também já receberam em seu cafofo uma figura como Geraldo Luís, apresentador de um programa popularesco da programação dominical da Record. Ele desvelou ao Brasil os espaços íntimos do casal, do closet cheio de sapatos e roupas de Ana à cozinha portentosa, mas onde se servem iguarias frugais como fatias de mortadela.

Mesmo a exposição pessoal, contudo, é planejada ao extremo. Ao exibir o filho ou sua nova mansão, fica patente que o casal controla de modo férreo a dosagem e o limite dessas pílulas de intimidade. Na vida real, conforme apontam todos os relatos, Ana e o marido se equilibram entre uma vida caseira e a devoção aos deveres profissionais. "Como fazemos o programa de manhã, ela acorda muito cedo, por volta de 5h30, para fazer ginástica. E não é de ficar acordada até tarde", diz a modelo e apresentadora Ticiane Pinheiro, a "Tici", colega de trabalho no Hoje em Dia e grande amiga de Ana. Completa a ex de Roberto Justus e atual namorada do jornalista César Tralli: "Depois que virou mãe, ela sai menos ainda. No máximo, vai a compromissos profissionais e depois estica a um japonês para jantar."

Nas horas vagas, Ana dedica-se a alguns hobbies frugais que já revelou em imagens e entrevistas. Cuida pessoalmente de um orquidário em sua mansão de campo. Ao lado de Correa, possui um canil de criação e venda da raça conhecida como rhodesian ridgeback - muito requisitada para a função de cão-de-guarda. Na vida pessoal, a estrela de 35 anos encontra um cão-de-guarda eficientíssimo no marido, hoje com 48 anos. Correa tem fama de jogar pesado nas negociações salariais e, a título de proteger a mulher, já se envolveu em um barraco homérico com outra loira da TV, Adriane Galisteu. Tempos atrás, em seu então programa na Band, Adriane saiu em defesa de Chris Flores, antiga colega (e rival) de Ana no Hoje em Dia,que havia sido desancada por Correa numa entrevista. No ar, Adriane disse que Ana deveria ter um filho para se tornar "uma pessoa melhor" (Alezinho ainda não tinha vindo ao mundo, claro). Enfurecido, Correa foi grosseiro nos ataques públicos a Galisteu, questionando inclusive a sexualidade de Adriane.

Fonte : Veja